quinta-feira , outubro 19 2017
Home / Cidades / Grupamento Aéreo evita que homem confundido com outro seja assassinado

Grupamento Aéreo evita que homem confundido com outro seja assassinado

Suspeitos detidos iriam matar a pessoa errada em canavial da cidade de Rio Largo

Canavial em Rio Largo ia ser local de homicídio (Foto: Ascom / SSP-AL)
Canavial em Rio Largo ia ser local de homicídio (Foto: Ascom / SSP-AL)

Uma situação inusitada culminou numa vida salva pelas unidades Falcões 01 e 03, do Grupamento Aéreo da Secretaria de Segurança Pública de Alagoas na tarde de sexta-feira (6), no bairro da Forene, em Rio Largo. Um homem foi levado por engano para um matagal, nas proximidades do hangar e ia ser executado. Dois envolvidos foram detidos.

O helicóptero Falcão 01 retornava de uma escala quando avistou algo suspeito e resolveu pousar. Coincidentemente, o Falcão 03 levantava voo para patrulhamento quando o operador também avisou da situação com a mesma percepção dos colegas da outra aeronave e o piloto resolveu descer. No local, havia um veículo Fiat Siena cinza de placas KLR-2939 de Recife-PE e dois homens. Indagados, conforme relatos do piloto do Falcão 03, teriam dito que estavam no local com a pretensão de ir tomar banho de rio.

“Achamos estranho e, na mesma hora, se aproximou um senhor de bicicleta. Perguntamos se ali perto havia rio e ele disse que não, então fomos tentar colher a verdade dos ocupantes do veículo. Pedimos também apoio por terra com uma viatura do Aéreo”, explica o piloto.

Enquanto os policiais conversavam com os suspeitos, um homem saiu correndo do matagal pedindo socorro e dizendo que iam matá-lo. ‘Nesse momento, nossas suspeitas ganharam respaldo, tínhamos a vitima’, ressalta o comandante do Falcão 3.

A história

Um homem identificado como Osano Floriano da Silva, de 40 anos, queria matar um rapaz, usuário de drogas, que estava se envolvendo com sua irmã e causando transtornos à família. E havia combinado sua morte. Chamou o amigo Renato Félix Nascimento da Silva, de 30 anos, que conduzia o carro, para seguir sua irmã que sacara dinheiro de um banco e estaria acompanhada do namorado em um coletivo com destino ao Sauaçuhy, em Ipioca.

“Quando o ônibus parou, a irmã do Osano não desceu, mas o rapaz sim. Eles, o Osano e o Renato o abordaram, compraram um saco de manga estava com ele e, sabendo que o alvo era usuário, convidaram o rapaz para acompanhá-los para fumar maconha. Coincidentemente, ele também é usuário e aceitou. Então foi no carro com eles, junto do homem que seria o matador, conhecido como ‘Salame’, no bairro da Forene, razão pela qual fizeram um percurso tão grande para poder matar’, detalha o piloto.

Osano (com a camisa nas costas) foi detido (Foto: Ascom / SSP-AL)

Edison José da Silva, de 23 anos, a vítima, teria pedido pra sair do carro alegando necessidades fisiológicas. Como já queriam matá-lo, permitiram. Nesse momento, conforme relatou aos policiais, o Osano efetuou disparos em sua direção e correu para o mato sendo seguido por ‘Salame’, que ao perceber o barulho das aeronaves empreendeu fuga. Ao sair do Mato correndo, Edison contou os detalhes de toda situação, inclusive que sua camisa e o saco de mangas estavam no veículo. Lá também estava o celular de Osano que, vistoriado, comprovou a trama. No aparelho haviam áudios e mensagens escritas falando do plano.

Os três, vítima e suspeitos, foram levados para a Central de Flagrantes para os procedimentos. Edison José dos Santos iria morrer em lugar de outra pessoa somente por ter os mesmos traços físicos. ‘Salame’, que fugiu com a arma, já tem passagem pela polícia.

Para o chefe do Aéreo, coronel André Madeiro, ‘as equipes agiram com responsabilidade, tiveram uma visão bastante profissional e, dentro do contexto, apesar de ser um flagrante que levava a uma tragédia, cumpriram mais uma vez a missão que é a de salvar vidas’.

Osano (Foto: Ascom / SSP-AL)

Renato (Foto: Ascom / SSP-AL)

Ascom / SSP-AL