quarta-feira , junho 20 2018
Home / Cidades / Neste ano Mais de 500 inquéritos de homicídios foram concluídos

Neste ano Mais de 500 inquéritos de homicídios foram concluídos

Data: 29/12/2017

whatsapp-image-2017-12-29-at-15.54.42-1-

A Polícia Civil de Alagoas concluiu 569 inquéritos envolvendo casos de homicídio neste ano. A informação foi confirmada pelo delegado responsável pela Delegacia de Homicídios, Fábio Costa, durante entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira (29).

Segundo Costa, 659 inquéritos foram instaurados em 2017. Dentre os que foram concluídos, 283 foram finalizados com autoria, isto é, com suspeitos identificados e presos.

“Foi um número bastante expressivo. Foi um ano atípico, onde os números estouraram nos quatro primeiros meses do ano, mas mesmo assim, por menos de 100 inquéritos não conseguimos concluir os desse ano. Lembrando que ainda concluímos alguns que estavam em aberto no ano passado”, comemorou o delegado Fábio Costa.

Prisões

Ainda nesta sexta, o delegado divulgou algumas prisões de pessoas envolvidas com homicídios durante o mês de dezembro. As prisões são resultados das operações de cumprimento de mandados feitos pela Polícia Civil.

Entre os casos está a prisão de Diego dos Santos Monteiro, 27, que é suspeito de envolvimento na morte do Jonata Guedes de Lima, encontrado dentro de um carro com marcas de tiros e facadas. Outro autor do crime já havia sido preso.

O delegado Fábio Costa ainda afirmou que Wedja Millena Lino da Silva, 21, é a última suspeita na morte da Yessamim Sara Pereira da Silva, que foi esquartejada por causa de disputas entre facções. Segundo o delegado, Wedja foi “a responsável por atrair a vítima para a emboscada”.

Isac Araújo Tavares foi morto da mesma maneira que Yessamim. Jorge Anderson da Silva Pimentel, 21, o “Dodi”, e Josenildo Barbosa da Silva, 24, são os últimos suspeitos do grupo de matar Isac Araújo Tavares, no Benedito Bentes.

Além deles, Henrique Leonardo dos Santos Filho, 22, o “Leo”; Vicente da Rocha Silva, 34; Ademilton Pedro da Silva, 36, foram presos por crimes diferentes. Como também, Gilberto Ulisses dos Santos, 27, o “Pastor”; Carlos William Ferreira de Lima, 29, conhecido como “Rock”; e Djevan José dos Santos Silva, 24, o “Dija”, estavam presos no Sistema Prisional respondendo por outros crimes e receberam nova voz de prisão.

 

Fonte: G1/AL