quinta-feira , outubro 19 2017
Home / Tecnologia / Novo golpe no WhatsApp já tem mais de 1 milhão de cliques

Novo golpe no WhatsApp já tem mais de 1 milhão de cliques

O recurso falso é propagado por meio de links maliciosos

Ao entrar, a vítima é direcionada para uma página maliciosa, onde é induzida a compartilhar o falso link com seus contatos para ativar a funcionalidade. De acordo com esta empresa, o golpe promete o acesso a uma funcionalidade falsa que passa pela visualização da conversa no WhatsApp, permitindo ao utilizador ver com quem os seus contactos se estariam a comunicar. O recurso falso é propagado por meio de links maliciosos que oferecem um serviço que mostra com quem os seus contatos conversam.

Obviamente, o recurso não existe, e, ao informar o seu número de telefone, o usuário estará na verdade contratando um serviço de SMS Premium, com mensagens de texto cobradas de seus créditos.

No golpe, os criminosos enviam aos usuários do WhatsApp que promete ativar a suposta funcionalidade chamada de Visualizador de Conversas para WhatsApp.

“Este é mais um caso de campanha fraudulenta que se propaga pelo WhatsApp e que tem como objetivo atingir o maior número possível de utilizadores”.

Mais um golpe anda assombrando o WhatsApp, desta vez a ESET Brasil está alertando para uma ameaça que tem nova abordagem, mas não é nada novo.

De acordo com o estudo feito pela ESET, esta campanha teve início em 18 de novembro e já atingiu 1,5 milhão de pessoas no mundo todo.

Grande parte dos tipos de golpes, tendo o aplicativo como principal vetor de propagação, visa como intenção inscrever os usuários em serviços de mensagens pagas.

Além da promessa de ver as conversas dos contatos, os golpes também prometiam chamadas de vídeo premium, pacotes de emoticons românticos ou cupons de desconto falsos para lojas e restaurantes de marcas famosas. “Essa ação segue o mesmo padrão utilizado em outros golpes aplicados pelo aplicativo de mensagens instantâneas que tem como objetivo o ganho financeiro, com a inscrição no serviço de SMS Premium”, explica Camillo Di Jorge, presidente da ESET Brasil.

Com Agências